Pages Navigation Menu

Penso, logo duvido.

Entrevista: Yu Likwai – Camilo Soares

Como traduzir em imagens as contradições de seu tempo ? Yu Likwai parece buscar a resposta com os filmes que faz, sobretudo nos que contribuiu como…

Leia Mais

Falência do sistema prisional brasileiro – Editorial

A rebelião dos detentos do Complexo do Curado do Recife não é um fato isolado nem exclusivo de Pernambuco e, seguramente, não será o último incidente deste porte nos presídios brasileiros. A crise atual em Pernambuco é apenas um sintoma da falência geral do sistema prisional do Brasil com superpopulação, condições precárias de higiene e limpeza, comércio de drogas, armas e facilidades, corrupção e extorsão, tudo agravado pela violência e pelo controle das gangs organizadas. O sistema carcerário do Brasil tem 1,5 presos para cada vaga, média que esconde muita desigualdade e não expressa a situação real da maioria dos presídios. Não é incomum encontrar unidades prisionais com 4 presos por vaga, como ocorre no Complexo do Curado (7.000 presos para 1.800 vagas). A superpopulação decorre, em primeiro lugar, do elevado percentual de presos que aguarda julgamento e que,...

Leia Mais

Ecos Brasilienses IV – Eli S. Martins*

“O maior medo dos radicais não é um outro radicalismo, mas o riso e o humor que carnavaliza e sublima.” De Roberto Da Matta

Leia Mais

O mistério na ciência e na arte – Sérgio C. Buarque

Arte e ciência são ambas formas de criação humana. Mas são resultado de processos completamente diferentes e quase opostos: a sensibilidade e emoção dominando a primeira e a reflexão lógica orientando a atividade científica.

Leia Mais

Livre Pensar – David Hulak

O risco é D`us cansar, desistir e Azmodeu, Belial e Satanás aproveitarem a brecha.

Leia Mais

Charlie Hebdo e a delinquência – Fernando Dourado

A ação homicida ocorrida na redação da Charlie Hebdo foi, na verdade, um ato de delinquência. Como tal, tem origens banais.

Leia Mais

Dilma versus Dilma – Editorial

Há um abismo profundo entre a Dilma candidata e a Dilma presidente, a segunda negando tudo que a primeira prometeu aos eleitores brasileiros. O que a Dilma presidente está fazendo nestes poucos dias do seu mandato era denunciado pela Dilma candidata como o projeto perverso da oposição: o terrível ajuste fiscal, necessário, diga-se de passagem, devido aos desmantelos da Dilma candidata/presidente. A “nova matriz econômica” inventada por Dilma do primeiro governo e candidata ao segundo mandato, foi vencida agora pelo necessário choque ortodoxo das finanças públicas para enfrentar a desarrumação herdada dela mesma. Entretanto, até o momento as principais medidas do governo estão concentradas no aumento da arrecadação e das tarifas públicas e não na redução das despesas correntes (o corte de gastos anunciado no início do ano é temporário, enquanto o orçamento não for aprovado pelo Congresso) e...

Leia Mais

Euforia e desconfiança nas medidas de aproximação EUA/Cuba – José Arlindo Soares

A reaproximação diplomática entre Estados Unidos e Cuba, que deve implicar no encerramento do bloqueio econômico …

Leia Mais

A conexão – João Humberto Martorelli

Sentir conexão com o brasileiro condenado à morte em Jacarta? Assim, uma ligação pessoal, um pensamento dirigido a ele, sem compaixão, uma curiosidade sobre os momentos finais?

Leia Mais

Professor da presidenta pede presente – Helga Hoffmann

O Professor deu mais uma entrevista professoral, pródiga em frases de efeito, como de costume (Luiz Gonzaga Belluzzo ao O Valor 16/01/2015).

Leia Mais

Livre Pensar – David Hulak

David Hulak   Torquemada era jihadista? * A nova classe média está comprando TV paga e todos os filmes passaram a ser dublados. Tem até sotaque zédirceuano dublando James Steward. * Se a seleção das espécies se aplica ao homo sapiens qual seria a previsão de Darwin para o target dos que não pensam como nós? * Eu, se fosse você, leria A VIRADA – O nascimento do mundo moderno, de Stephen Greenblatt, mais um golaço da Companhia de Letras. * Davos é para profissionais. Boa viagem para a tróica. * Xisto é uma rocha metamórfica cristalina, formada por metamorfismo dinâmico que já começou a mudar o mundo como estava. Atenção para os próximos capítulos. * Diversidade cultural é assim: sai ministra, entra e sai ministra, entra ministro e você tem que ter sapiência para sacar como serão as próximas...

Leia Mais

Novos ventos no Caribe – Editorial

O atentado ao semanário Charlie Hebdo e as grandes manifestações em Paris, condenando o terrorismo e a intolerância política e religiosa, desviou a atenção do mundo e dos analistas políticos para um pequeno mas significativo evento na América Latina: a libertação de 53 presos políticos em Cuba, que faz parte das negociações para o reatamento de relações diplomáticas e comerciais com os Estados Unidos. O próximo passo será o envio de uma missão norte-americana a Cuba para a primeira rodada de negociações que preparam a normalização das relações bilaterais, encerrando décadas do embargo comercial com enorme prejuízo do país do Caribe; segundo as Nações Unidos, até 2005 o embargo já teria provocado um prejuízo superior a 89 bilhões dólares à pequena economia cubana. O embargo econômico a Cuba é talvez a mais anacrônica medida da política externa norte-americana, principalmente...

Leia Mais

“Jusqu’ici tout va bien.” – A situação de tensão social na França

Leonardo Gill Os atentados dos dias 7, 8 e 9 de janeiro de 2015 em Paris e região metropolitana evidenciam uma situação tensa que ocorre na França. Parte da equipe de redação do semanário satírico Charlie Hebdo foi metralhada por dois irmãos, Cherif e Saïd Kouachi, ambos franceses de pais argelinos, ação que eles alegaram, antes de morrer no dia 9, estar relacionada à Al Qaeda do Iêmen. Eles mataram 12 pessoas e feriram 9. Além disso, no dia 8, o francês de origem malinesa Amedy Coulibaly matou uma policial e tomou de assalto um mercado kosher, no dia 9, na região de Vincennes, matando mais 4 pessoas. Antes de morrer, ele vinculou a ação ao Estado Islâmico. Agora que sabemos quem são os responsáveis pela ação, que eles foram mortos após uma formidável perseguição policial e que eles...

Leia Mais

Quem não é Charlie? Ou, A culpa é da vítima – Sérgio C. Buarque

Nesta semana, circulou na rede social da internet um texto do Padre Antonio Piber, divulgado pelo teólogo Leonardo Boff, com o título “Eu não sou Charlie”, no qual analisa o atentado ao semanário Charlie Hebdo.

Leia Mais

O Islamismo no Ocidente – Fernando da Mota Lima

É difícil para um brasileiro alheio à realidade concreta das relações culturais em países como a França e a Inglaterra opinar adequadamente sobre os atos de terrorismo ocorridos há poucos dias em Paris.

Leia Mais

E ainda precisamos de Mártires da Liberdade… – Helga Hoffmann

Luto, lágrimas, um minuto de silêncio. Alguém pôs um lápis entre as flores, pelo cartunista. Fazia bons desenhos.

Leia Mais

Nós somos Charlie! – Editorial

Os líderes islâmicos de várias partes do mundo condenaram com veemência o ataque criminoso de autodenominados seguidores de Maomé ao semanário Charlie Hebdo nesta quarta feira negra da história da humanidade. De acordo com eles, a violência não encontra base nos ensinamos do islamismo que “professa a paz e o respeito à vida”. Estas vozes lúcidas e pacifistas do islamismo contrastam totalmente com grosseiro fanatismo de seitas e grupos islâmicos, como se vê agora no brutal atentado terrorista à vida e à liberdade de imprensa, particularmente, à liberdade da sátira e do humor crítico. Como disse o escritor Salman Rushdie, “a arte da sátira tem sido a força pela liberdade e contra a tirania”. É verdade que o ódio e o fanatismo religiosos são fenômenos recorrentes ao longo dos tempos e de parte de várias religiões (basta lembrar a...

Leia Mais

Ideologia, Política e Religião – João Rego

Não quero aqui falar sobre instituição democrática (partidos políticos, eleições, etc.). Gostaria de compartilhar algumas reflexões sobre como um homem segue outro homem…

Leia Mais

Sonhos do novo ano – Editorial

Como todo ano novo, esse início de 2015 desperta os sonhos de futuro de cada um dos brasileiros, com seus desejos e expectativas pessoais, mas também esperanças e expectativas para o Brasil, na economia, na vida social e na política. Como 2014 não foi exatamente um ano brilhante para o Brasil (estagnação econômica, volta da inflação, aumento do desemprego e vergonhosa corrupção), dá para esperar um novo ano melhor, embora sempre se diga que nada é tão ruim que não possa piorar. Como sonhar não custa nada, em 2015, o Brasil vai ter uma economia em rápido crescimento e com inflação baixa, e com o combate intenso e bem sucedido da corrupção, pela ação combinada do Ministério Público com a Polícia Federal e os Tribunais de Conta. O Congresso, com uma grande maioria de políticos honestos, com espírito público...

Leia Mais

Livre Pensar – David Hulak

Mediação entre otimismo e pessimismo é apenas a dura realidade.

Leia Mais

Caroço de umbu – Carlos Pinheiro

O carro quebrou bem embaixo do viaduto, na entrada de Caruaru quando se vem do lado de Recife. Sentou-se numa pedra à margem das lembranças quando foi alvejado por caroço de umbu jogado do alto.

Leia Mais

O sagrado risco do acaso – Teresa Sales

Não é comum, mas acontece. Você entra num livro, faz uma viagem com o(a) autor(a) e sai dele diferente de como entrou…

Leia Mais

Novo Ministério? – Elimar Nascimento

Durante a campanha eleitoral Dilma Rousseff afirmou enfaticamente que teríamos, caso reeleita, um novo governo, com novas ideias…

Leia Mais