Pages Navigation Menu

Penso, logo duvido.

Qual reforma? – Editorial

Se existe algo neste país de tantas divergências que todos brasileiros concordam é a necessidade de uma reforma política. É um grande exagero entende-la como “a reforma das reformas”, como afirmam alguns que a vêm com uma panaceia para todos os males do Brasil, mas não há dúvida que o modelo atual é inapropriado e viciado. Mesmo assim, ninguém se entende em torno de um novo sistema político e eleitoral, menos ainda os congressistas e os partidos políticos. E a reforma fracassa e morre nos conflitos de interesse político-partidários, cada partido e parlamentar preocupado com sua posição e sobrevivência em um novo cenário definido por cada alternativa. Por enquanto, apenas a eliminação da reeleição para cargos executivos como se fosse a solução para a corrupção eleitoral e o abuso de poder com a máquina. Vale lembrar que, no passado,...

Leia Mais

O castigo do rei – Sérgio C. Buarque

No final da tarde quente de verão, entrei na cidade histórica carregando um sonho e, junto com ele, uma imprecisa inquietação. Um vento forte soprava do sul levantando uma poeira densa que filtrava a luz…

Leia Mais

EXPRESSO BRASÍLIA: Uma história pouco conhecida da nossa Babilônia – Luciano Oliveira

Luciano Oliveira Nunca me esqueci dos três nomes mágicos que enfiei na cabeça para fazer uma prova de história, quando era menino: Quéops, Quéfren e Miquerinos. As três grandes pirâmides do Egito. Nunca me esquecerei também do épico Os 10 Mandamentos, de Cecil B. de Mille (assistido pela primeira vez por essa época), onde escravos judeus construíam um daqueles monumentos vergados sob o peso das pedras e das chicotadas dos feitores. Num determinado momento, uma velhinha que passa graxa nos trilhos de remoção dos imensos “tijolos” fica presa entre um enorme bloco de pedra e um buraco onde ele deve se encaixar. Salvá-la significaria atrasar os trabalhos. O feitor não hesita e manda os escravos continuarem a puxar a gigantesca pedra. A velhinha será esmagada. E daí? É mais uma entre os milhares de trabalhadores substituíveis. Aí chega Charlton...

Leia Mais

A Harmonia da Natureza – Clemente Rosas

É comum ouvirmos que o homem, com seu instinto predador, potencializado pelas conquistas da ciência, está destruindo a harmonia da natureza.

Leia Mais

Mitologia íntima da margem esquerda do Capibaribe – Fernando Dourado

EM NOITE MEMORÁVEL DA ADOLESCÊNCIA, fui ao cinema de arte do Recife ver o aclamado filme de Fellini. Meu primo e eu saímos da sessão levitando e em silêncio.

Leia Mais

Ecos Brasilienses – Eli S. Martins*

PERICLITANDO O PT pede a cabeça do Levy, junto com os sindicados da CUT, e a presidente começa a lhe contrariar. O aviso foi dado com sua ausência no anúncio dos cortes governamentais que ficaram aquém do que o ministro da Fazenda queria: da próxima ele vai embora. TODO MUNDO CONTRA A diferença entre o discurso do PT e o da oposição de crítica ao ajuste é que o PSDB não pede a cabeça do Joaquim Levy. O QUE SERÁ? Levy, o Ministro da Fazenda deu os primeiros sinais de cansaço. Sua ausência do anúncio do corte, na sexta feira passada, sob alegação de um resfriado, embora tenha continuado a trabalhar no Ministério,  permitiu o boato de que estaria saindo. Meu vizinho confeiteiro, foi na mosca: “O ministro não é aquele discípulo do Armínio, que elaborou o programa do...

Leia Mais

Réquiem em blues – Daniel Sousa Buarque

O músico B.B. King, aclamado “rei do blues”, morreu aos 89 anos na semana passada, após passar décadas encantando o mundo com suas músicas marcadas por uma voz profunda…

Leia Mais

As Divisões de Francisco I – Editorial

Diante do conselho político de um aliado para adotar uma postura tolerante com a religião católica na União Soviética, o ditador José Stalin perguntou de forma irônica: “Quantas Divisões tem o Papa?” Stalin não era bobo e sabia que o Vaticano não tinha armas, mas, dependendo do jogo diplomático, conta com o poder moral e a enorme influência da religião em todo o mundo. Com estas “Divisões”, o Papa Francisco I está se movendo de forma ousada em áreas de conflito, seja como negociador, seja com decisões que reequilibram as disputas nacionais. No início do ano, o Papa negociou a reaproximação de Cuba e Estados Unidos, o que já está produzindo efeitos nas relações diplomáticas entre esses dois países e pode levar ao final do embargo e a uma mudança radical nas relações políticas e diplomáticas no continente. Nesta...

Leia Mais

Sofia Bar e Restaurante – Teresa Sales

O primeiro dia foi no domingo de nossa chegada. Estávamos no apartamento do hotel nas primeiras arrumações para uma morada de uma semana.

Leia Mais

O sentido da vida – Clemente Rosas

A filosofia não é privilégio dos filósofos. Todos nós, simples mortais, habitualmente a praticamos.

Leia Mais

A morte do Pai. – João Rego

João Rego A seu Lila (Maurílio Rego). (in memoriam) 19.05.2015 O grito de terror da minha mãe perpassou o meu corpo. Acordo assustado. Tenho quatorze anos e não imaginava nunca que toda a minha infância estava se dissolvendo naquele momento. Pulo da cama e corro para a cozinha, de onde veio o grito. Encontro minha mãe sentada no chão, chorando e urrando, em estado de puro desamparo, abraçada ao corpo inerte do meu pai. Vejo o homem que me protegera e me amara durante toda a minha vida, derrubado, sem vida. De forma exasperada, arrastamos seu corpo pela porta da cozinha até o chão da entrada de carros que separava nossa casa da Casa Grande. Minha avó Ernestina sai, vestida em sua camisola, e quando vê a cena diz com a sabedoria e a calma que só a velhice...

Leia Mais

A batalha do cais – Editorial

A batalha do cais   O processo atropelou o projeto. A pressão dos movimentos sociais liderados pelo Ocupe Estelita levou à reformulação do desenho original do projeto Novo Recife previsto para o Cais José Estelita: aumento da área pública de 45% para 65% da área total, redução da altura média das torres de 40 para 14 andares e integração com a cidade pelo acesso da Avenida Dantas Barreto ao cais. Além disso, o projeto assume várias medidas mitigadoras e de melhoramentos na área como a restauração da igreja de São José e retirada do viaduto que esconde o Forte de Cinco Pontas. Essas mudanças no seu desenho tornam o projeto Novo Recife um empreendimento de grande impacto na requalificação urbana da cidade, particularmente numa área degradada do Recife. No entanto, um conjunto de falhas e precipitações de procedimento e...

Leia Mais

Plisetskaya e o stalinismo – Sérgio C. Buarque

Maya Plisetskaya, uma das maiores bailarinas do século XX, morreu na semana passada em Munique com quase 90 anos.

Leia Mais

Vozes da estrada: de Ibn Battuta a Zé Cláudio – Fernando Dourado

SE A ESTRADA NEM SEMPRE ANIMA, FATO É QUE LIVROS DE VIAGEM PODEM SER DIVERTIDOS.

Leia Mais

A casa do rei – João Humberto Martorelli

Tomar o povo a praça é normal e justo no regime democrático. Na história recente do Brasil e do mundo, páginas indeléveis foram escritas pelas manifestações de rua contra o abuso de poder…

Leia Mais

O Museu do Ouro em Bogotá – Teresa Sales

Conhecer a Colômbia era um velho sonho, desde que fui capturada por Gabriel Garcia Marquez, de quem li primeiramente sua obra maior, “Cem anos de solidão”, e daí segui lendo…

Leia Mais

Privacidade versus Segurança – Editorial

A característica mais interessante da internet é a ausência de um sistema centralizado de governança que defina ou restrinja os conteúdos que circulam na rede, dando poder ao cidadão e permitindo uma completa descentralização da informação, de dados e imagens. Ao contrário do Big Brother que controlaria tudo, especialmente o cidadão, a internet permite que qualquer pessoa seja um emissor e propagador de conteúdos, com muito baixo custo e pouquíssimo tempo. Neste sentido, está quebrando o monopólio da produção e propagação de informação. Entretanto, está revolução tem um preço: a utilização da rede para atividades criminosas, para difamação de outros cidadãos, e para propagação de informação falsa e boatos com impactos negativos na sociedade e na vida privada. A discussão sobre mecanismos de regulação e controle da rede desperta fortes reações em defesa da privacidade do cidadão. Foi assim...

Leia Mais

MP 664: o que importa o futuro? – Helga Hoffmann

É tamanha a celeuma provocada pela Medida Provisória no. 664 de 20 de dezembro de 2014, que alterou regras na pensão por morte, que se imagina que as modificações são grandes.

Leia Mais

Ecos Brasilienses

Em tempos de crise, de fato, tudo é possível. O novo líder da esquerda no Senado é o seu presidente. O mesmo que defendeu Collor, representa a maior força oligárquica de Alagoas…

Leia Mais

Rue de Rennes – Fernando Dourado

Quando subia a escada da estação de metrô Saint-Placide, Mário acusou uma pontada aguda do lado esquerdo do peito e foi acometido de súbita falta de ar.

Leia Mais