Pages Navigation Menu

Penso, logo duvido.

Fernando Dourado

Fernando Dourado

Fernando Dourado Filho, diretor gerente da Merken, é consultor em estratégias de internacionalização empresarial e um dos mais conhecidos especialistas em formação de equipes multiculturais no Brasil e negociações interculturais. Discípulo de Richard Lewis (RLC

Communications, Winchester -UK), viaja o mundo há 41 anos. Viveu na França, Inglaterra e Alemanha o que lhe dá domínio fluente de seis idiomas, e possibilita comunicação em outros seis. Dirigiu a área de exportação de diversas empresas nacionais e internacionais, e abriu mais de 80 mercados para produtos brasileiros, desde itens de valor agregado da indústria leve a suco concentrado de laranja. “Trader” da velha escola, já visitou 170 países e colabora com diversas publicações como articulista, dentre as quais a revista “Amanhã”; “Valor Econômico”; “Jornal do Commercio” e a Revista Será?. Escreveu “Ao redor do mundo-Convivência e negociação com culturas estrangeiras para brasileiros”, “Os nortes da bússola” e “Viajante de corpo e alma – Crônicas de um andarilho global”. Dentre seus clientes, destaque para a Embraer, Scania e Michelin. Dentre outras atribuições extracurriculares, já participou da elaboração de planos de governo e integrou a equipe que montou o SIPRI (Sistema de Promoção de Investimentos) no Ministério das Relações Exteriores. Ocasionalmente faz palestras sobre a experiência intercultural à mesa de negociação em empresas e universidades, e treina executivos que atuam na linha de frente. Conta com mais de 200 artigos publicados na imprensa sobre a internacionalização da empresa brasileira sob as vertentes da gestão e cultura. É baseado em São Paulo, mas todo mês vai ao Recife

 

 

11 Comments

  1. Conheço os textos de Fernando Dourado “há 97 artigos”, todos publicados no Jornal do Commercio do Recife. São primorosos, atemporais, bem pensados, bem escritos. Tenho orgulho de, sem conhecê-lo, tê-lo colocado entre os articulistas do JC na época em que dirigi sua redação.
    Hoje, além de seu fã, sou seu amigo

  2. Ivanildo,

    Em 5 de agosto vamos completar 10 anos desde que mandei minha primeira colaboração para o JC e você a acolheu. Desde então, sem pressa nem açodamento, fomos adubando nossa relação com carinho e eu fui aprendendo alguns truques do ofício. Nunca falamos a respeito de forma didática. Pelo contrário, comíamos o nosso cabritinho com batatas e dávamos tempo ao tempo. Foi assim que se construiu uma marca apreciável.

    Tenho também muito orgulho de nossa amizade. Num mundo em que as pessoas passaram a ser avaliadas pelo que têm, você botou passarela na página nobre do Jornal do Commercio para um plebeu que sequer no Recife mora. Hoje, quase cem crônicas mais tarde, a presença na coluna me aproximou emocionalmente de Pernambuco. E veja que em dado momento eu já tinha dado essa conexão por comprometida.

    Pois bem, agora você achou o domicílio onde eu estico o texto e as pernas:a revista Será?. Liberado para resgatar memórias – enquanto o motor funciona -, fui bem acolhido nesse espaço virtual onde Teresa Sales e João Rego me prodigalizam tratamento de roqueiro. Com direito a peixe de forno, um Cohiba lanceiro e muita conversa quando estou na terra. Ainda não conheci os demais integrantes da confraria, mas sei que Recife tem seu próprio ritmo. É uma Minas Gerais com vista para o mar.

    No JC, seguimos em frente, apesar das saudades do amigo. Portanto, e já me arvorando de gente da casa, apareça mais vezes nesse espaço. Sua presença – a marca mais representativa da história da imprensa contemporânea de Pernambuco – nos encherá de orgulho e motivação. E as gavetas virtuais de Teresa e João acusarão um público leitor mais motivado e participante. Porque essa capacidade de agregar é sua e de mais ninguém.

    Abraço,

    Fernando

  3. Tenho o prazer e a alegria de conhecer Fernando Dourado, há mais de 40 anos. Sempre se destacou na sua geração, pelo seu elevado interesse intelectual, na busca aplicada pelo conhecimento e na disciplina do trabalho. É com grande prazer e orgulho, que registro o seu sucesso de grande estrategista e especialista em negociações internacionais, de comércio exterior. Contudo, nestes complexos, difusos e confusos tempos de intensa globalização, Fernando Dourado se destaca na expertise em Negociações Interculturais. Para tal, atua na difícil busca pela interação entre pessoas, povos, culturas, empresas e governos, pela convergência de necessidades, interesses e aspirações comuns, registra viagens por mais de 180 países, domínio falado e escrito de mais de 6 idiomas, 4 livros sobre suas andanças e, consultorias diversas mundo afora. Sou seu leitor frequente e amigo. Fernando Dourado, longa vida, prosperidade e mais sucesso.

  4. Fernando Dourado é uma das pessoas mais inteligentes que conheço. Ler seus textos é interagir com seus pensamentos e compartilhar da narrativa. Sua capacidade de comunicação é cativante. Recentemente apresentei alguns textos seus à minha filha de 16 anos que ficou impressionada como ele consegue transmitir sensações de uma viagem por exemplo, de uma forma que nos deixa na duvida se de repente não estávamos lá tambem.
    Fennando, continue nos brindando com seu brilhantismo.

    • É muita generosidade sua ver tantos méritos nesse escriba. Mas é também motivo de orgulho saber que o tenho entre meus leitores e, ainda por cima, que me aproximou de um público jovem – para quem os textos caudalosos nem sempre são do agrado. Se tenho a chancela de sua filha, dobra o entusiasmo. Nunca é demais – especialmente nessa circuntância – salientar o quanto o admiro pela devoção ao trabalho e pelo exercício constante de um fino olhar. Portanto, um grande obrigado, Antônio Edson, e apareça sempre.

      Um abraço,

      FD

  5. Ontem Biblioteca Comunitária Ler é Preciso Prof. Maurílio Matos em Garanhuns, teve a honra de recebe-lo e também o privilégio de conhecer você Fernando. A conversa tão informal nos fez parecer que eramos velhos amigos. A curiosidade mata por isso escavei algumas das suas cronicas e textos. Voltei no tempo ao ler sobre sua infância, por ser uma legitima Garanhuense, nas entre linhas pareceu que eu também estava ali. Foi fantástico o deleite.
    Obrigada pela oportunidade e aguardamos novas visitas.

  6. Meu caro Fernando,
    Se possivel, gostaria de uma gentileza sua, em me informar o e-mail de Rogério Carvalho Jr.. Na realidade, preciso de uma informação sobre um casal amigo, que são baianos e foram meus vizinhos em Recife durante alguns anos.
    Trata-se de Jorge e Carmen Carvalho Tarquínio (ela é tia de Rogério), que perdemos o contato completamente ; moravam em Salvador, mas depois se mudaram
    para uma Fazenda, no Município de Caatiba (próxima a Itapetinga).
    Sei da sua amizade com Rogério e Maria Inês, que é prima de Angela Coelho Peixoto, casada com Armando (meu primo) e lhe agradeço muito pela atenção.
    Agradeço muito pela sua atenção, ficando aqui em Recife a sua inteira disposição.
    Cordial abraço,
    Ricardo Peixoto (81) 99252-0098

    • Querido Ricardo

      O e-mail deles é

      rcarvalhojr@uol.com.br

      O telefone dele, você consegue com o cunhado Duca

      087 999872547

      Certeza que ele vai adorar ter notícias suas.

      Abraço,

      Fernando

  7. Desculpe, Ricardo, o e-mail de Rogério é

    rcarvalhojr@gmail.com

    Apareça mais nessas páginas.

    Outro abraço,

    FD

  8. Vivendo e aprendendo. Apesar de curioso e leitor do JC, onde também já “cometi” algumas crônicas por gentileza de Ivanildo Sampaio, não conheço o ilustre conterrâneo. Quem sabe o faça hoje, na Livraria Cultura, onde comprarei seu livro. A verdade é que a oferta de novos textos e a facilidade das novas mídias bloqueiam nossa leitura inteligente.

    • Prezado Flávio,

      Será um prazer conhecê-lo logo mais à noite aqui na Livraria Cultura, da avenida Paulista.

      Um abraço,

      Fernando

Trackbacks/Pingbacks

  1. Grécia: era uma vez um verão – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  2. De volta à rua da Aurora – Fernando Dourado. | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  3. Miss Komatsu – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  4. Reflexões de Apolônio, o mordomo – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  5. Abecedário de Veramundo Rota em Elmwood Park – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  6. Dilma, a inadimplente da palavra? – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  7. Latitudes – Fernando Dourado. | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  8. Frontal 0.25 Mg – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  9. Longitudes – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  10. Conexão londrina – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  11. Oswaldo Coelho | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  12. Sempre às quintas-feiras – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  13. Paris sitiada – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  14. Histórias de um certo Novembro – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  15. Verona: vinhetas de um Romeu sem Julieta – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  16. Os ursos do Ártico – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  17. Crônica de um estranho réveillon – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  18. Raízes de um desterrado – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  19. Cem dias na Terra do leite e mel – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  20. Nas Pegadas de Fiszel Czeresnia – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  21. Ó, Jerusalém – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  22. O equívoco de Hoffman – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  23. O discurso de Dilma – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  24. Na Albânia – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  25. O paladar dos rudes – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  26. Simplesmente Fabíola – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  27. A estranha viagem de Krikor Balabanian – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  28. Confidências de Dr. Percival à Rainha da Inglaterra – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  29. Tommy – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  30. A natureza perversa do poder – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  31. Armênia e Geórgia: ecos de uma expedição ao Cáucaso – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  32. Cabeça na lua entre Bucareste e Sofia? – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  33. Viagem sentimental a Portugal? – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  34. Viagem sentimental a Portugal – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  35. Cabeça na lua entre Bucareste e Sofia – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  36. Suzana, um amor proibido – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  37. Almanac de Catalunya – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  38. Sozinho no Cabo da Boa Esperança  – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  39. Carta do engenheiro Couceiro à psicanalista Telma Rosas – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  40. A revista Será? como divisor de águas – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  41. Vinhetas de Paris no outono – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  42. A Baronesa de Knokke-Le-Zoute ?- Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  43. Brasília, capital Potemkin – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  44. Uma noite nos Bálcãs – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  45. Eu, Martina Lawrence – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  46. A visita de Doroteia ao filho Nestor – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  47. A Turma da Van – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  48. O dia em que a Terra saiu do eixo – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  49. Uma história de amor e saudades – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  50. Fim de inverno na Bósnia-Herzegovina – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  51. O fim do passado – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  52. A fábrica – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  53. “Dernier virage” – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  54. As vidas paralelas de Tibério Bontempo – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  55. O dia de canalha de Yves Farias – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  56. Um mojito com o embaixador – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  57. A Polônia onde até a paisagem fala iídiche – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  58. Anotações de uma viagem solitária de Leste a Oeste da Polônia – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  59. From Russia with love – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  60. Um outono em Moscou – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  61. Dasvidania, Rossiya – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  62. Aconteceu em Nob Hill – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  63. “Cherchez la femme” – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  64. Pernambuco para principiantes – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  65. Pernambuco para experientes – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  66. Pernambuco para proficientes – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]
  67. O dia em que perdi o Nobel de Literatura – Fernando Dourado | Revista Será? - […] Fernando Dourado […]

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *