Pages Navigation Menu

Penso, logo duvido.

A Democracia como praxis – João Rego

O conceito de práxis no marxismo é uma chamada à ação para a transformação da realidade. Brilhantemente desenvolvido por Marx, é fundamentalmente necessário para um tipo de ação…

Leia Mais

Crise e democracia. – João Rego

Democracia não é um conceito ou algo idealizado, pronto e acabado. Democracia é a práxis política em estado vivo espraiando seu efeito transformador na sociedade e em nossas vidas. Todos nós somos sujeitos e objetos desta transformação.

Leia Mais

Democracia e suas vicissitudes – João Rego.

Sempre desconfiei do excesso de expectativa que nós depositávamos na democracia. Naquela época – durante a ditadura militar de 64 – essa era uma palavra que evocava a saída do inferno autoritário para o paraíso…

Leia Mais

Poder, cultura política e autonomia do cidadão – João Rego

Peguei a Revista VEJA desta semana e senti o peso das denúncias de corrupção nela. Lembrei-me do tempo da ditadura quando não sabíamos de nada e a corrupção sangrava …

Leia Mais

Tirando as máscaras

Estamos diante de dois fatos, aparentemente distantes, porém correlacionados. O primeiro é o voto secreto no Congresso e em todas as casas legislativas.

Leia Mais

Raízes do Brasil

Sérgio Buarque de Holanda nasceu em São Paulo no ano de 1902. Era portanto muito jovem quando o modernismo irrompeu ruidosamente na cena cultural brasileira com a Semana de Arte Moderna em 1922.

Leia Mais

Memória e “verdade histórica” – Sérgio C. Buarque

Sérgio C. Buarque A memória é uma invenção do passado com o olhar e a conveniência do presente. Memória não é mentira. Mas também não é verdade. É história reconstruída e alterada (no limite, até falseada) inconscientemente pelos desejos e interesses do presente. Parodiando Pasolini – “a realidade é feita de mil sonhos” – podemos dizer que a história é escrita por mil memórias, cada uma com sua visão do passado e de acordo com as situações presentes. Em busca da verdade histórica, as memórias se confundem e embaralham os fatos e as interpretações. Só o confronto de muitas memórias, e o seu teste em documentos e dados, pode ajudar a clarear o passado. O que diz a memória de José Dirceu e da maioria dos companheiros no poder sobre os chamados anos de chumbo? Que eles lutaram pela...

Leia Mais

Claude Lefort e a Democracia: Uma visão contra o senso comum

Luciano Oliveira Nascido em 1924 e falecido em 2010, Claude Lefort teve uma significativa audiência no Brasil na década de 80 do século que passou – sobretudo na sua primeira metade. Seu livro mais conhecido, A Invenção Democrática, foi aqui traduzido e muito lido nesses anos. Vivia-se o processo de “abertura” política do general Figueiredo e os temas da democracia e dos direitos humanos, nele tratados, favoreceram a acolhida que teve. Eu, que cursara a universidade nos “anos de chumbo” da ditadura militar e tivera alguns colegas presos e torturados, acalentava um tanto vagamente a idéia de escrever uma tese sobre a questão dos direitos humanos no Brasil. Ter vivido sob um regime que fazia da violação de tais direitos um de seus pilares, tinha-nos ensinado, a mim e à minha geração, a valorizar, na prática, o que significava...

Leia Mais

Ambivalência diplomática

O presidente eleito da Venezuela, Hugo Chavez, gravemente enfermo e ausente do país, mesmo sem assumir o cargo, assina um documento oficial nomeando o vice-presidente e o Ministro das Relações Exteriores. É muito estranho, mas foi autorizado pela Suprema Corte do Estado venezuelano dando aparência de legalidade. Estranho, como foi a velocidade do impeachment do presidente Fernando Lugo do Paraguai no ano passado, legalmente aprovado pela esmagadora maioria do Parlamento, e a cassação do Presidente da Honduras Manuel Zelaya há três anos, também oficializado pelo Congresso hondurenho. Parecem formas diferentes em condições diversas, mas todas expressando manipulação política dentro dos vazios e imprecisões das regras democráticas. Melhor do que os antigos golpes militares escancarados, claro; mas, com essa mistura de velho populismo com manobras modernas de legitimação política e jurídica, muito longe de exemplar processo democrático. O mais estranho de...

Leia Mais

Democracia e mídia

Com a condenação de importantes líderes do PT-Partido dos Trabalhadores pelo STF-Supremo Tribunal Federal, ressurgem as críticas à mídia brasileira, mais uma vez acusada de perseguição tendenciosa aos petistas. Sem entrar no mérito do julgamento, menos ainda da cobertura da imprensa ao caso, é fundamental ressaltar que a imprensa e a liberdade de expressão são pressupostos centrais da democracia. E que a democracia na mídia é assegurada pela existência e convivência de múltiplos e diversificados órgãos de imprensa que expressam a complexidade e os conflitos de interesse na sociedade; e não pelo o chamado “controle social” ou instâncias do Estado que filtrariam e controlariam a informação para alcançar uma pretensa verdade. A democracia da informação se completa, no mundo contemporâneo, com a crescente propagação e intensa atuação das redes sociais na difusão e troca de informação e conteúdos em...

Leia Mais