Pages Navigation Menu

Penso, logo duvido.

A comoção é má conselheira – Editorial

A morte do jovem Douglas Rafael da Silva no Rio de Janeiro é uma tragédia familiar e comunitária que entristece os brasileiros, provocando uma justa e compreensiva comoção na sociedade. O evento – dramático e doloroso – não pode, contudo, servir para uma demonização geral da polícia e, menos ainda, para a desqualificação das UPPs-Unidade de Polícia Pacificadora, chamada de “assassina” por manifestantes no velório de DG (como era conhecido o dançarino). Não está comprovado que foi a polícia que matou DG, mas, caso se confirme esta hipótese, mesmo no meio de um tiroteio, o Estado deve reconhecer e punir os responsáveis de forma clara e transparente, dando satisfação à sociedade e procurando recuperar a confiança nas instituições e no projeto de pacificação. Neste momento de comoção e sofrimento, contudo, é necessário separar este incidente (como de outros já...

Leia Mais

A Aposta Uruguaia

A Câmara de Deputados do Uruguai aprovou proposta ousada e radical do Governo para enfrentamento do tráfico de drogas no país: o controle estatal da produção, da distribuição e da comercialização da maconha e a regulamentação do consumo da cannabis no território uruguaio. A proposta é polêmica, foi aprovada por pequena margem e é rejeitada pela maioria da população. Mas, apesar da incerteza em relação aos seus resultados no combate ao crime organizado, a política de descriminalização da maconha do governo uruguaio não é uma aventura irresponsável e tem fundamentos lógicos e convincentes. Em primeiro lugar distingue a maconha dos outros entorpecentes que se propagam de forma devastadora na população jovem na medida em que  o efeito psicológico e social do consumo da maconha é totalmente diferente da cocaína e do crack e não parece ser pior que as chamadas “drogas lícitas”,...

Leia Mais

Descriminalização X Guerra às Drogas

Quando Fernando Grostein Andrade foi à Rocinha gravar um videoclipe de uma banda de pagode e viu jovens no tráfico segurando uma AK-47, ficou se perguntando: por que os fuzis aqui, quando na Holanda as pessoas compram maconha legalmente num coffee shop? Foi daí que nasceu a idéia de “Quebrando o Tabu”, documentário lançado no circuito comercial esse ano e que assume claramente posição a favor da descriminalização da maconha. Meses depois, publica-se uma matéria de destaque de capa sobre o mesmo tema na revista Veja (31/10/12), porém com o sinal invertido. O assunto é controverso e, tal como outros ainda mais controversos (o aborto, por exemplo), tem desviado a discussão de seu foco principal, para cair em moralismos que mais encobrem do que esclarecem o assunto. O que está em jogo é o fracasso da guerra contra as...

Leia Mais